Comentar

imagem de Rafael

Review: Reboot DC

Enviado por Rafael em sex, 09/16/2011 - 17:04

Quem não lê quadrinhos, deve ainda assim ter ouvido falar de um reboot que a DC comics fez, tamanha foi surpresa do ato que criou um reboliço. Para quem não ouviu nada, em uma rápida explicação, a DC Comics simplesmente anulou quase tudo que já foi publicado, em outras palavras, tirando raras exceções nada do que lêmos existe. Muito se questiona o porquê do reboot, sendo a única conclusão plausível que foi uma atitude da Warner, dona da DC,  para atrair novos leitores, afinal o garoto que vê Smallville não conseguiria entender nada do que está sendo publicado nos quadrinhos.

A atitude por mais que desrespeitosa aos antigos leitores, ainda pode ser benéfica por dois motivos: as edições impressas e digitais são liberadas ao mesmo tempo, não sendo preciso esperar dois anos para as editoras nacionais publicarem, além de finalmente uma ordem ser posta nas cronologias que estavam bastante bagunçadas.  

Mas para quem não é familiarizado com HQ, o público que a DC está procurando, ainda fica difícil escolher uma dentre 52 para acompanhar, por isso resolvi fazer um review de algumas que foram publicadas. Segue junto uma classificação em poltronas para assessorar caso alguém queira acompanhar uma delas.

                                 

 

  • Action Comics 1: Grant Morrison consegue surpreender mais uma vez, criando uma história divertida, mas já calçando elementos conhecidos da mitologia do personagem. A sua grande sacada reside no fato de trazer elementos antigos, como colocar um iniciante Superman contra empresários corruptos, mostrando-o como um jovem fiel aos seus princípios, disposto a derrotar a corrupção mesmo que isso o coloque oposto a polícia. Apesar ainda de faltar pequenos elementos, a HQ já vale bastante. 4 poltronas de 5
  • Animal Man 1: Dentre todas as HQs, esta foi a que mais me deixou curioso pela próxima edição. Para começar temos os desenhos de Travel Foreman, que justo por não serem esteticamente perfeitos, combinam com a história. Ainda temos a redefinição do personagem, transformando Buddy Parker em um ator de cinema indie e super herói nas horas vagas, com sua identidade revelada para o público, tendo que ainda administrar uma família. Jeff Lemire brinca om elementos góticos fazendo uma história instigante, mas que funciona perfeitamente como uma edição única. 5 poltronas de 5
  • Batgirl 1: Muito se questionou qual desculpa utilizaria para fazer Barbara Gordon caminhar de volta (ela foi aleijada em A Piada Mortal), mas não foi nesta edição que revelaram. Aliás, tudo é muito escasso, sendo várias informações arremessadas e terminam a história, tudo é corrido e nada interessante. 
    2 poltronas de 5

  • Detective Comics 1: Apesar de não ter nada de inovador em colocar Batman contra Croinga como se fosse um dos primeiros confrontos, ainda sim Ryan Winn dá um novo olhar à HQ, o que por muitas vezes parecendo beber demais no universo cinematográfico de Nolan, o que é pode ser considerado um elogio quando não é exagerado. Winn é esperto em terminar a história deixando um grande ponto de interrogação para os leitores, assim, ganhando o público pelas próximas edições. 3 Poltronas de 5
  • Green Arrow 1: Arqueiro Verde sempre surgiu como um clone de Batman, mas aos poucos foi se distanciando do Homem Morcego. A sensação que temos ao terminar a história é que ainda querem transformar o personagem em um clone do Homem Morcego. Não ser querido pela polícia, o ódio mortal dos inimigos que voltaram para vingar, os ajudantes, a identidade secreta relapsa, tudo parece remeter a Batman, o que prejudica bastante a história. 2 Poltronas de 5
  • Justice League 1:  é a que mais aparenta ser voltada para o público iniciante, o que torna a história bacana, mas fraca. O Lanterna Verde daqui é igual ao do filme, o Batman daqui também, ambos juntos tem que descobrir quem é Darkseid e descobrir quem é o alienígena de Metrópolis, mas sem antes lutarem com ele. Ao final, parece um roteiro de um filme de Michael Bay. 2 Poltronas de 5

 

  • Justice League International 1:  Não bastasse tentar refazer a Liga Cômica, conseguiram coloca-lós em uma história chata que muito promete e pouco cumpre. Vários personagens aparecem e nenhum é interessante, quanto menos a trama que os envolve. 1 Poltrona de 5
  • Men of War 1: É tão boba e chata que não irei gastar nenhuma palavra a mais com ela. 1 Poltrona de 5
  • Swamp Thing 1: Quem sempre gostou do Hulk, da época onde o diálogo criador e criatura era recorrente, vai adorar o novo Monstro do Pântano. Apesar de nada acontecer, a HQ se torna atraente por trabalhar bem os diálogos e o personagem principal. Sem contar que os desenhos de Yannick Paquette são extremamente bem feitos. Tomara que a série se mantenha assim. 4 Poltronas de 5

 

Semana que vem volto a comentar outras HQs.

Até o próximos post!!

 

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.
CAPTCHA
Esse desafio é para nos certificar que você é um visitante humano e serve para evitar que envios sejam realizados por scripts automatizados de SPAM.
CAPTCHA de imagem
Digite o texto exibido na imagem.